ucca

Um Capital de Cultura e Arte

Artistas unem talento em exposição colectiva

“Monyo I Nyitu – Espírito e Corpo” é o título da mostra colectiva, dos artistas Patrício Mawete e Benigno Tengo, a ser inaugurada está sexta-feira, pelas 18h00, na Galeria Tamar Golan, em Luanda.

A exposição, que fica patente ao público até 23 de Dezembro, pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 17h00, na galeria de arte contemporânea da Fundação Arte e Cultura, na Ilha de Luanda.

O objectivo da exposição, explicam os artistas, é mostrar a dualidade de ideias, a partir de expressões pictográficas, criadas numa filosofia em que o pólo negativo pode se multiplicar para tornar-se positivo. “O espírito sem o corpo será inactivo e o corpo sem o espírito também será inactivo, por isso deve haver uma colaboração simbiótica e mútua de dois pólos em acção. É uma vida de dependência e ninguém é auto-suficiente”, esclarecem.

Na mostra, os trabalhos de Benigno Tengo exploram as emoções, sentimentos, memórias, que são faculdades do espírito e as representam em forma de silhuetas com fundos únicos e muito coloridos, enquanto Mawete analisa as funções de corpos biológicos e mecânicos, simbiose que denominou de “BionicSystem”, exibida através de obras pictóricas, cujo teor realça a relação entre as máquinas e os humanos, numa visão arquitectónica.

Os artistas

Patrício Mawete concluiu o ensino médio e superior de Artes Plásticas na Academia de Belas Artes do Congo (RDC). Depois passou pelos ateliers de mestres consagrados, como Domingos Tekassala, Ibanda e Etona. Actualmente exerce a função de instrutor de artes plásticas no próprio atelier. Em 2001, realizou a primeira exposição individual, intitulada “O Poder da Cor”. A segunda mostra individual, “O Substracionismo”, ocorreu em 2006.

Benigno Tengo despertou o interesse pelas artes em 2017, na altura ingressou no atelier de pintura de Patrício Mawete. Geralmente tem apresentado trabalhos introspectivos, nos quais usa as experiências e reflexões pessoais como referências para criar obras. A maioria dos trabalhos do artista abordam a memória, sonhos, sentimentos, emoções, a morte, a alienação, as relações familiares e a relação entre o homem e o espaço.

Deixe um comentário