ucca

Um Capital de Cultura e Arte

Maria Carrolo faz estreia com um livro de contos

Maria do Rosário Carrolo faz a sua estreia na literatura, sábado, pelas 11h00, no Centro Cultural Brasil-Angola (CCBA), com o lançamento do livro “Towétowé – A doçura de um conto africano”.

Towétowé é um fruto silvestre cuja intensa doçura permanece na boca algum tempo após ser ingerido, absorvendo assim o sabor de tudo o que se come ou bebe a seguir. É originário das florestas do Amboim-Gabela, província do Cuanza-Sul. Actualmente é cada vez mais difícil de encontrar.

O livro “Towétowé – A doçura de um conto africano” narra a história de duas jovens adolescentes que ao se dirigirem ao arimbo (local mítico) para colherem folhas de mandioca, que a avó lhes tinha pedido, uma das folhas muda completamente as suas histórias de vida.

O conto que narra a beleza da natureza da floresta do Amboim de então, onde Lemba e Kangila viviam, convida igualmente o leitor a uma fascinante viagem de vivência familiar, cultural, de valores humanos e, sobretudo, de respeito máximo pelo meio ambiente.

A primeira edição do livro “Towétowé – A doçura de um conto africano” de Maria do Rosário Carrolo tem a chancela da Honor Editora. O livro possui seis capítulos e, pelo meio, contém seculares ensinamentos das gerações mais velhas às mais novas, sob a forma de provérbios. O valor arrecadado com a venda reverterá a favor do Centro de Oncologia de Luanda.

Maria do Rosário Carrolo nasceu a 2 de Abril de 1958 na Gabela – Amboim, província do Cuanza-Sul. É psicóloga clínica de profissão, trabalhou em algumas organizações internacionais e multinacionais, é contadora de histórias, dom este que deu origem a Towétowé, o seu primeiro livro.

VIDA
Feira do livro do Zango
abre hoje  até domingo

A Feira do Livro do Zango realiza-se entre hoje e do-mingo, no condomínio Vida Pacifica (Zango Zero), com a participação de vá-rios autores e escritores angolanos, com destaque para a escritora Kanguim-bu Ananaz. Segundo Miltan Gonçalves, porta-voz da organização, a feira tem como objectivo a promoção da cultura do hábito de leitura, investigação científica e outras formas de entretenimento que incidem no desenvolvimento pessoal dos jovens e não só. Miltan Gonçalves garante que este é o  primeiro passo para colocar o Zango na rota das editoras para o lançamento de livros e diálogo com escritores.

Outro foco é o de contribuir para o combate a delinquência no seio da juventude, tendo como interlocutora da vasta equipa Antónia Lourenço e Niria Milena Setas “Tuga Agressiva”. A biblioteca comunitária do Zango precisa de ajuda, por forma a criar incentivos de  leitura na camada juvenil da circunscrição. A biblioteca comunitária do Zango tem como objectivo contribuir para o desenvolvimento académico e profissional dos adolescentes e  jovens do bairro do Zango.

Deixe um comentário